Browse the glossary using this index

Special | A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z | ALL

P

Picture of ESPPE Portal EAD

PARÂMETROS DE COBERTURA ASSISTENCIAL: UMA ANÁLISE DA SUFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE SAÚDE

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 11:13 AM
 

Autor: ADENILSON DA SILVA GOMES

 

 

RESUMO
No Brasil, a oferta de serviços de média complexidade constitui-se em um dos maiores pontos de estrangulamento do sistema. Assim, as portarias MPAS Nº 3.046/82 e GM/MS Nº 1.101/02 garantiram por décadas as coberturas assistenciais de saúde no SUS através de parâmetros. A lógica restritiva e racionalizadora da oferta e utilização dessas portarias foi refutada pela recente criação da Portaria GM/MS nº 1.631/2015 a qual traz nova configuração de um novo padrão de suficiência de oferta de serviços de saúde municipais. O objetivo geral deste estudo foi estudar a suficiência da oferta de consultas especializadas da rede municipal de saúde de um município em Pernambuco. Tratou-se de um estudo do tipo transversal com uma abordagem quantitativa, onde buscou-se a identificação da oferta da rede própria pelo Infocrás (Sistema de Regulação Municipal de Caruaru) e da rede conveniada pelo Sistema de Informações Ambulatorial Municipal (SIA-SUS Municipal) das especialidades médicas de Cardiologia, Nefrologia e Oftalmologia. A partir disso, foram comparadas com os parâmetros nacionais preconizados (Portaria nº 1.631/15). Foi averiguada paralelamente a capacidade de atendimento dos profissionais da rede própria e conveniada mediante fórmula apresentada em estudos da literatura. Apontou-se que houve déficits de consultas na oferta de nefrologia (68%) e oftalmologia da rede própria (74%) e superávits de consultas na oferta de cardiologia (100,83%) e oftalmologia da rede conveniada (194,17%). A utilização dessas ofertas apresentou-se com flutuações positivas e negativas num aspecto temporal. Perante a capacidade de atendimento das redes própria e conveniada do município, a cardiologia e oftalmologia da rede conveniada mostraram-se como as especialidades mais utilizadas (170% e 241%, respectivamente) e a nefrologia e oftalmologia da rede própria as especialidades menos utilizadas (27% e 31%, respectivamente). Uma vez que há descompassos significativos na relação entre o que é ofertado e utilizado mesmo com os parâmetros da recente portaria ajustados, há de se considerar que a oferta do município está aquém da real oferta satisfatória que atenda as necessidades da população e existem inconsistências na aplicabilidade da portaria 1.631/15 para preservar a garantia da suficiência dos serviços especializados de saúde no município de Caruaru.


Palavras-chave: Parâmetros; Cobertura de Serviços de Saúde; Especialidades Médicas.

Picture of ESPPE Portal EAD

PERFIL DE NASCIMENTOS DE UMA REGIÃO DE SAÚDE DE PERNAMBUCO, 2011 A 2015

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 2:37 PM
 

Autor: MÔNICA BORBA DA SILVA

 

RESUMO

O Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos (SINASC) foi implantado no Brasil com o objetivo de coletar e processar dados demográficos e epidemiológicos sobre o recém-nascido, a mãe, o pré-natal e o parto. Objetivo: caracterizar e analisar perfil epidemiológico de nascimentos na IV Região de Saúde do Estado de Pernambuco, do período de 2011 a 2015. Metodologia: Trata-se de estudo epidemiológico descritivo, retrospectivo, de abordagem quantitativa, utilizando a base de dados secundária do SINASC. Resultados: Mães adolescentes (22,37%); maioria das mães solteiras (39,67%); 62,18% das mães com sete ou mais consultas de pré-natal; houve predomínio de cesáreas (54,60%); 7,64% de baixo peso ao nascer e índice de Apgar superior a sete no primeiro e quinto minuto em 89,44% e 97,44% dos nascimentos, respectivamente. Conclusão: O estudo permitiu caracterizar e analisar a população materna-infantil da IV regional de Saúde de Pernambuco, e desse modo, contribuir no planejamento de ações voltadas para esse grupo.


Palavras-chave: Nascimento Vivo, Perfil de Saúde, Saúde Materno-infantil, Sistemas de Informação.

 

Picture of ESPPE Portal EAD

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA HANSENÍASE EM UMA REGIÃO DE SAÚDE DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE 2005-2015

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 2:19 PM
 

Autora: LUANA NAYARA ALVES FERREIRA

 

RESUMO
A Hanseníase é uma doença infectocontagiosa crônica causada pelo Mycobacterium leprae com alta infectividade e baixa patogenicidade. A pesquisa propõe uma análise do perfil epidemiológico da hanseníase na IX Região de Saúde de Pernambuco no período 2005 a 2015 através de um estudo epidemiológico do tipo descritivo de abordagem quantitativa com utilização de dados secundários obtidos no Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS). No período foram diagnosticados 1.474 casos novos de hanseníase, correspondendo a uma taxa média de detecção de 40,9 por 100 mil habitantes. Os municípios com as maiores taxas de detecção foram Trindade (126 por 100 mil hab.), Araripina (50,1 por 100 mil hab.) e Ouricuri (47,2 por 100 mil hab.). Foi observado ainda que 50,2% dos casos eram do sexo feminino, paucibacilares, na faixa etária de 15-39 anos. Os multibacilares, no sexo masculino na faixa etária 40-49 anos. O tipo de entrada ao serviço foi mais frequente na forma passiva. 82% dos casos receberam alta por cura e a taxa de abandono foi < 10%. O sexo masculino apresentou ainda maiores taxas de GIF 1 e 2, no diagnóstico e na cura, revelando o diagnóstico tardio da hanseníase. Nesse sentido, sugere-se a permanência na prioridade da agenda política dos governos de todos os entes federados e a alocação de recursos financeiros, além das ações de vigilância de busca ativa, detecção e vigilância dos contatos, assim como o monitoramento e avaliação dos indicadores por parte dos municípios e a capacitação permanente em serviço dos profissionais com o apoio da Gerência Regional e Programa Estadual, concatenando esforços para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes, reverberando em resultados positivos nos indicadores.


Palavras-chave: Doença Negligenciada. Hanseníase. Perfil Epidemiológico.

 

 

Picture of ESPPE Portal EAD

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA MORTALIDADE MATERNA NA IV REGIONAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 11:21 AM
 

Autora: ERIKA CHAVES MATHIAS DOS SANTOS

 

RESUMO
Objetivos: analisar as principais características epidemiológicas dos óbitos maternos de residentes da IV Regional de Saúde de Pernambuco no triênio 2012 a 2014. Métodos: Estudo descritivo, com abordagem quantitativa, do tipo corte transversal, retrospectivo. Foram utilizadas como fonte de dados as declarações de óbito e as fichas síntese de investigação de óbitos maternos investigados, disponíveis no Sistema de Informação de Mortalidade. Resultados: ocorreram 36 óbitos maternos no período de 2013 a 2014, na IV Regional de Saúde de Pernambuco. Destes 18 correram durante o ano de 2013, representando 50% dos óbitos no período estudado. O principal local de ocorrência destes óbitos foi hospitalar (88,9%). As mulheres eram em sua maioria entre 20 e 29 anos (55,5%), pardas (52,8%), solteiras (61,1%), com nível fundamental de escolaridade (61,1%) e do lar (30,5%). 55,5% ocorreram de 0 a 42 dias do puerpério, o óbito materno obstétrico direto representou 58,3% dos casos. As principais causas obstétricas diretas foram hemorragias de pós-parto imediato. 88,9% tinham realizado pré-natal, 44,4% realizaram 7 ou mais consultas, 75% a primeira consulta foi no primeiro trimestre da gestação. O parto cesáreo aconteceu em 56,2% dos casos. A Razão de Morte Materna para o período foi de 50,69 por 100.000NV. Conclusões: Encontrou-se um cenário de valores elevados de mortalidade e uma boa cobertura do pré-natal e parto, o que leva a indagação sobre a qualidade da assistência ofertada. Os resultados indicam a necessidade de aprimorar a assistência à saúde da gestante durante o pré-natal, parto e puerpério.


PALAVRAS-CHAVES: Mortalidade Materna. Estatísticas Vitais. Epidemiologia Descritiva.

 

Picture of ESPPE Portal EAD

Planejamento de Ações de Saúde do Trabalhador no SUS: Uma Análise dos Planos Municipais de Saúde da VI Regional de Saúde de Pernambuco

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 11:15 AM
 

Autor: Aureliane Cadengue Galindo

 

Resumo
Introdução: Os instrumentos de planejamento são essenciais nas instâncias gestoras do Sistema Único de Saúde para organização de uma assistência aos trabalhadores planejada e pautada na observância de suas singularidades. Objetivo: analisar a inserção da Saúde do Trabalhador nos Planos Municipais de Saúde da VI Regional de Saúde de Pernambuco. Método: Foi realizada análise documental a partir do estudo dos Planos Municipais de Saúde elaborados para o quadriênio 2014-2017. Os instrumentos foram acessados por meio do Sistema de Apoio ao Relatório de Gestão (SARGSUS). Resultado: A análise dos Planos Municipais de Saúde revela baixo nível de compreensão do significado de conceitos básicos relacionado ao planejamento em saúde. Os problemas e necessidades apontados na análise situacional, de maneira geral, não são contemplados no estabelecimento das diretrizes, objetivos e metas relacionados à saúde do trabalhador. Conclusão: Constatou-se a existência de deficiências nos Planos Municipais de Saúde analisados frente às ações de planejamento em saúde do trabalhador.


Palavras-chave: saúde do trabalhador; trabalho; planejamento em saúde; gestão em saúde; atenção integral à saúde.

 

Picture of ESPPE Portal EAD

Plano de Educação Permanente em Saúde de Pernambuco

by ESPPE Portal EAD - Monday, 5 July 2021, 2:28 PM
 
O Plano de Educação Permanente em Saúde do Estado de Pernambuco foi organizado segundo a estrutura de uma Política de Gestão da Educação na Saúde, entendendo que a Educação Permanente em Saúde deve ser a estratégia ordenadora da formação e desenvolvimento de trabalhadores, das relações ensino-serviço e das interações ensino-atenção-gestão-participação. Nesse sentido, Plano de Educação Permanente em Saúde e Política de Gestão da Educação na Saúde guardam relações orgânicas de correspondência e convergência. 
Picture of ESPPE Portal EAD

Porque precisamos da educação interprofissional para um cuidado efetivo e seguro

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 4:20 PM
 
A educação interprofissional (EIP) é uma atividade que envolve dois ou mais profissionais que aprendem juntos de modo interativo para melhorar a colaboração e qualidade da atenção à saúde. Pesquisas vêm revelando continuamente que profissionais de saúde e serviço social enfrentam uma série de problemas na coordenação e colaboração interprofissional que impactam na qualidade e segurança da atenção.
Picture of ESPPE Portal EAD

PREVALÊNCIA DE TRACOMA NOS MUNICÍPIOS DA V GERÊNCIA REGIONAL DE SAÚDE DE PERNAMBUCO, NO PERÍODO DE 2010 A 2014

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 11:22 AM
 

Autor: JOSEFA MÁRCIA DA SILVA BEZERRA

 

RESUMO
Objetivou-se descrever a prevalência de tracoma em residentes nos municípios da V Gerência Regional de Saúde - V GERES, Pernambuco no período de 2010 a 2014. Foi realizado um estudo epidemiológico do tipo descritivo retrospectivo, com caráter quantitativo a partir de levantamento de dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), durante o período de 2010 a 2014. A prevalência total de tracoma nos municípios pesquisados foi de 32,54 a cada 10.000 habitantes. Foram detectados 569 casos, dos quais 98,06% foram de Tracoma Inflamatório (TF/TI). As formas sequelares (TS/ TT/CO) apresentaram uma taxa de 1,06% e 0,88% foram ignorados. Houve uma diferença entre a zona urbana e rural 58,92% e 40,36% respectivamente. Quanto ao sexo, observou-se um maior percentual de casos nas mulheres com 57,68% dos casos. A faixa etária de 15 a 19 anos, registrou a maior taxa da doença com 54,84 % dos casos. Por se tratar de uma doença crônica e reincidiva, faz-se necessário um acompanhamento continuado, a fim de se obter melhores resultados no que diz respeito ao seu tratamento e controle. Para isso é preciso fortalecer as ações de vigilância epidemiológica do tracoma, capacitando os profissionais de saúde, para detectar, tratar e monitorar os casos da doença. A educação em saúde deve ser trabalhada de forma constante, visando sensibilizar e mobilizar a comunidade para participar de forma ativa no processo de profilaxia dessa infecção.


Descritores: Tracoma, epidemiologia, Clamydia trachomatis, prevalência

 

Picture of ESPPE Portal EAD

PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE MUNICÍPIO DO MUNICÍPIO DE SERRA TALHADA - PE

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 2:31 PM
 

Autora: MARIA DO SOCORRO CAVALCANTI DE GOES

 

RESUMO
Objetivo: Foi objetivo desse estudo descrever como se organiza o Programa de Controle da Hanseníase no município de Serra Talhada. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo e transversal, realizado no período de agosto a novembro de 2017, a partir de entrevistas dirigidas aos profissionais das 18 Unidades básicas de Saúde, ao coordenador municipal do Programa e a Referência Secundária. Resultados: 11,11% da composição das equipes de saúde estão incompletas, 33,3% dos profissionais das UBS relataram ter dificuldade na realização do diagnóstico da hanseníase. 100% dos entrevistados informaram realizar o acompanhamento de contatos e 88,8% realizam a busca ativa de sintomáticos dermatoneurológicos. Os fluxos de referência e contra referência na rede não são conhecido pela referência do programa. Conclusão: Constatou-se que o município possui estrutura física e recursos humanos e materiais para o desenvolvimento do PCH, no entanto, foram encontrados alguns entraves na execução das suas ações.


Palavras - chave: Hanseníase. Políticas de Saúde. Saúde Pública.

 

Picture of ESPPE Portal EAD

PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE: UMA AVALIAÇÃO MUNICIPAL

by ESPPE Portal EAD - Wednesday, 7 July 2021, 11:40 AM
 

Autora: Angélica Marques dos Anjos

 

RESUMO
Objetivo: Avaliar a estrutura e processo de trabalho do Programa de Controle da Hanseníase do município de Goiana no ano de 2017. Métodos: Trata-se de um estudo de avaliação normativa, o qual utilizou uma população de 23 Unidades de Saúde da Família (USF), o que corresponde a 100% das USFs existentes no município. Foi utilizado um instrumento de pesquisa (divido em três componentes) contendo questões relacionadas à estrutura e processo referentes à hanseníase. Resultados: A melhor classificação foi atribuída ao componente Processo/Vigilância, que obteve o nível bom (72,6%). O componente Processo/Educação apresentou o nível regular (52,2%), assim como o componente Estrutura (63,5%). Conclusão: Faz-se necessário investir na reestruturação do Programa de Controle da Hanseníase em Goiana, partindo de mudanças voltadas para estrutura e processo de trabalho, sobretudo nos aspectos relacionados ao componente Processo/Educação, que apresentou as menores taxas.


Palavras-chaves: Hanseníase; Atenção Primária à Saúde; Avaliação em Saúde